As quintas de D. Antónia Ferreira, a Ferreirinha, são provavelmente as mais emblemáticas em todo o Douro.

De entre estas, a Quinta do Vale Meão reveste-se de uma simbologia enorme, visto ter sido a última das suas aquisições, e ter sido um projecto idealizado por D. Antónia de raiz, uma vez que a quinta foi adquirida em terra virgem. Infelizmente D. Antónia morreu um ano após a aquisição desta Quinta.

A Quinta do Vale Meão, manteve-se ainda assim, nas mão de seus descendentes, com Francisco Olazabal, seu trineto, a assumir a liderança e a totalidade da posse desta Quinta em 1994. A história conta-nos o quanto foi abençoada esta Quinta, e os vinhos ali produzidos, que por via de Francisco Olazabal ser Presidente da Ferreira, eram vendidos a esta, integrando os melhores vinhos da casa, e entre eles, o sobejamente conhecido Barca Velha.

O Quinta do Vale Meão é um vinho tinto é muito concentrado na cor. Nariz de grande profundidade, complexo, com muitas nuances aromáticas, sem que nenhum aroma se sobreponha a outro. Na prova é vibrante, num conjunto de grande elegância, excelente integração da madeira, surpreende pela grande variedade de sabores, com um final de boca muito longo.